Creme antissético para as mãos com efeito residual - AG SEPT com nano – CIMAI - Engenharia e Química Avançada

Creme antissético para as mãos com efeito residual - AG SEPT com nano partículas de prata

É sabido que o álcool é um excelente desinfetante das mãos, nomeadamente como antisséptico na prevenção do Covid-19. Por outro lado, o uso intensivo de produtos base de álcool na pele leva à remoção da gordura que protege a nossa pele, secando-a e levando-a a abrir gretas e feridas dolorosas. Tudo isto piora no inverno.

Esta característica menos positiva dos antisséticos das mãos de base álcool, levam a que muitos profissionais de saúde evitem utilizar este tipo de antisséticos. Acontece que não há muitas alternativas no mercado e sabemos que muitas das infeções hospitalares são causadas por deficiente desinfeção das mãos dos profissionais de saúde e dos utentes.

Também não deixa de ser verdade que, não obstante o álcool ser um excelente desinfetante, não destrói todos os microrganismos.

Resultados de uso intemnsivo de álcool gel

Figura 1: Mãos secas e gretadas após o uso intensivo de álcool gel

Foi justamente por esta razão que o departamento de I&D da CIMAI trabalhou numa alternativa aos antisséticos das mãos de base álcool.

Este trabalho de desenvolvimento tem como princípio o uso de nano partículas de prata e um conjunto de excipientes, substâncias hidratantes que resultaram na criação do nosso novo produto AG SEPT.

O AG SEPT é assim, portanto, um antissético desenhado com recurso à mais avançada tecnologia de nanopartículas e tem um espetro muito alargado de atuação em vírus e bactérias, tendo a grande vantagem sobre o álcool de proporcionar ao usuário um efeito residual prolongado, que este produto mantém após a aplicação nas mãos. É mesmo aqui que reside uma das grandes vantagens do AG SEPT, relativamente ao gel álcool, pois este último evapora com rapidez, não deixando qualquer componente ativo desinfetante nas mãos após a secagem.

Por outro lado, também ao nível biocida, o AG SEPT ataca uma gama de vírus muito importante que o álcool não destrói, os norovírus.

Os norovírus são um tipo de vírus com alta capacidade infeciosa e muito resistentes, que são capazes de permanecer em superfícies, facilitando a transmissão entre pessoas. Esses vírus podem ser encontrados em alimentos e água contaminados e são um dos principais responsáveis pela gastroenterite viral nos adultos. É, portanto, um tipo de vírus de transmissão alimentar, ou transmissão pessoa a pessoa via fecal-oral altamente contagioso, podendo dar origem a grandes surtos de diarreia aguda em locais como clínicas, hospitais, escolas, lares, acampamentos, cruzeiros, hotéis e restaurantes.

Os sintomas da infeção pelo norovírus incluem diarreia intensa seguida de vómitos e, muitas vezes, febre. Este vírus possui ainda alta capacidade mutacional, ou seja, existem vários tipos de norovírus, sendo difícil o seu controle.

Fotografia microscópica do norovírus

Figura 2: fotografia microscópica do norovírus

Para se ter uma ideia, o norovírus infeta quase 700 milhões de pessoas e mata cerca de 219 mil por ano em todo o mundo, levando a gastos na saúde de cerca de 4,2 mil milhões de dólares por ano e prejuízos sociais e económicos de cerca de 60,3 mil milhões de dólares anuais.

O AG SEPT é também eficaz no combate ao vírus influenza (H1N1), vírus da hepatite B ( HBV), e vírus do HIV, o SARS-CoV-2, MERS, etc. O espetro de atuação biocida do AG SEPT é também relevante em bactérias gram-positivas e gram-negativas e fungos.

O AG SEPT não é inflamável, não irrita a pele e é praticamente não tóxico.

No quadro em baixo podemos ver a comparação de algumas características do AG SEPT com um álcool gel comum.

Figura 3: Comparação entre um álcool gel comum e o AG SEPT


Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados